Vitrine da May: Sobre traumas, amores e amizades.

Sobre traumas, amores e amizades.

Olá meninas!! Bom, sou a nova colaboradora do blog e vou escrever principalmente textos, mas também sobre muitos outros assuntos quando couberem aqui! Eeeê
Meu nome é Brenda, tenho 19 anos, sou brasiliense, faço cursinho pra passar em medicina em alguma federal, adoro viajar, comer, conhecer lugares novos, dançar, cantar e toda essas besteiras que todo mundo normal adora fazer, mas com o tempo vamos nos conhecendo melhor, vamos dar início aos trabalhos?


Eu sempre quis ser uma dessas pessoas meio traumatizadas. Parece estranho né? Explico, pessoas traumatizadas se blindam, contra o amor, contra falsas amizades e machucados. Elas sofrem uma, duas, três vezes e se fecham de modo que tudo que entra em suas vidas depois disso tem que passar por uma longa trajetória de testes e provas para que de algum modo conquistem seu espaço. Eu nunca fui assim, eu sempre quis milhares de pessoas na minha vida e sempre me entregava ao máximo para cada uma dessas pessoas. Para o menino que conheci pelo orkut na sétima série, pela minha suposta melhor amiga na escola, pelo professor que cuidou de mim quando fiquei doente na viagem da escola, para qualquer um que desse um sinal, por menor que fosse de que queria estar na minha vida. Para mim, não existem meios termos, todos os relacionamentos são extremamente profundos, até que um dia acabam. E todos costumam acabar do mesmo jeito, com a minha cara e coração esfolados. Se eu fosse traumatizada os finais talvez não fossem menos dolorosos, mas eles aconteceriam com menos frequência e com meu orgulho inteirinho. Para o menino que conheci no orkut, ouvi um monte de promessas e o máximo que tive foi um bocado de cartas e mais promessas que chegaram pelo correio, ainda nos falamos, e de algum modo, nesses sete anos eu descobri que ele talvez não fosse o amor da minha vida, tinha sido só mais um amor, é claro que antes de descobrir isso, um monte de coisas aconteceram e eu acabei muito machucada em todas elas, ele também. Hoje somos só amigos. A suposta melhor amiga da escola era aquela menina bonita, que todo mundo ama e que tem tudo, e eu me entreguei completamente àquela amizade, na época eu ainda não entendia essa história de que cada pessoa ama de modo diferente, e eu sofri muito com todos os nossos problemas, todos esses machucados me trouxeram muita mágoa, somos muito diferentes e não sei como aconteceu, só sei que quando eu achava que tava tudo bem, ela parou de me seguir em uma rede social qualquer, curtiu algo sem querer e discurtiu depois, o amor não diminuiu sabe, mas a amizade sim, não nos falamos há um pouco mais de um mês. O professor que cuidou de mim em uma viagem ao Hopi Hari, sei lá, a escola acabou e nunca mais nos vimos. A vida acontece, sabe. Entretanto, não ser traumatizada me deu alguns presentes que pouquíssimas pessoas tem, tenho novos amigos, e alguns antigos, e todos eles são incríveis, tenho uma melhor amiga irmã, que está comigo há oito anos, mas só há uns quatro eu tirei os olhos da suposta melhor amiga e percebi quem sempre esteve ao meu lado de uma forma incrível, leve e divertida, ganhei também, um namorado lindo que é totalmente diferente de mim e que por isso mesmo está me ensinando coisas que eu nem sabia que podia aprender. É óbvio que eu ainda vou me machucar muito não importa quantas alegrias e pessoas maravilhosas estejam na minha vida, todos nós vamos. Mas é a minha personalidade, sempre fui assim desde baby então, se não posso fazer nada pra mudar isso vou aproveitar a parte boa e aprender a lidar com isso da melhor forma possível.

















Comentários do facebook
1 Comentários do Blogger

Um comentário:

  1. oooi , vc escreve muuuito bem , e eu me indentifiquei muito com vc , passei pelas mesmas coisas , adorei , parabeeens mesmo ;D

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Michele Design